Aside

o luto que ninguém conta

extraído de conversas com amigos:

o luto é uma coisa estranha, você muda de personalidade, praticamente.
fica pensando no que poderia ter feito a mais, pra ela ser ainda mais feliz
e eu já fazia muito, muito mesmo, por ela
mas não dá pra evitar ficar pensando e repensando várias coisas.
ou tentando voltar à infância, a algum momento feliz e querer que o tempo transcorra a partir dele novamente.

fico comparando a idade dos outros na rua, com a idade dela
principalmente os mais velhos que ela, é meio automatico. não dá nem pra se sentir mal com isso.
o povo fala em fases do luto, fracionadas. eu vivencio quase todas num único dia. negação, raiva, barganha, depressão, culpa, tentativas de trabalhar e se ocupar funcionam por algum tempo, depois o foco se perde totalmente.

minha irmã mais nova ta melhor porque tentei muito colocar na cabeça dela o que tento colocar na minha: que a única coisa que alivia minimamente é saber que ela ficaria com sequelas e ela ODIARIA ficar assim. espero um dia pôr na cabeça que ela preferiu ir, sabe? foi assim que fiquei tentando falar pra minha irmã
ela tinha mais medo de ficar de cama, do que morrer, e sempre dizia isso.
embora eu tenha uns vários pequenos choques durante o dia, quando lembro que não posso chamar, não posso perguntar, não posso ligar. e todo dia vai ser assim… dói.

eu chego e tá tudo como deixei. até uma casca de alho que ninguém jogou no lixo. é tudo minha responsabilidade agora, cada partícula de poeira daquela casa.

acho que ninguém nunca vai entender a minha relação com ela, não era simplesmente mãe, que faz as coisas em casa…
era alguém que eu confiava plenamente. que se alegrava pelas minhas coisas como ninguém
não era aquele tipo de mãe padrão que o povo supera fácil e vem me falar coisas que não funcionam agora.
do tipo “a vida é assim mesmo” / “deus chamou, era a hora”
e na minha cabeça só escuto: “bullshit, bullshit, bullshit”
e porra, eu sou atéia. dói ainda mais porque você não acredita em muita coisa.
nem por isso é de se esperar que você siga normalmente com duas semanas
ou três, ou dez
então eu to cansada de ficar ouvindo isso, de se conformar, de seguir. não, não ainda
to tentando trabalhar sim, mas não é o tempo todo que vou estar ok pra tudo.

tudo que menciona “mãe” acaba te afetando, é incrível
vc fica com inveja de quem tem mãe e não valoriza, fica com vontade de dizer pras pessoas cuidarem mais das mães, que ela não vai tá lá o tempo todo
meu maior medo agora é sonhar que nada aconteceu, e acordar em seguida.
é muito estranho, muito ruim, muito difícil.

Advertisements